Já não era bem da minha época quando eu era adolescente. Agora, então, nem se fala – não é da época de nenhum adolescente atual! Mas é improvável – só pra não dizer impossível – que você não conheça nenhuma música do Legião Urbana ou nunca tenha ouvido falar do Renato Russo. Vou te ajudar a lembrar de algumas músicas: “Que país é esse”, “Eduardo e Mônica”, “Faroeste caboclo”.

Em 27 de março deste ano o vocalista da banda, Renato Russo,  teria completado 50 anos. Você deve ter visto, lido e ouvido diversas matérias sobre ele. A que mais gostei é da jornalista Bia Abramo. Ela conheceu o Renato e o Legião, e conta tudo nesse texto que é tão bom que você tem que ler – Renato Russo: Um cara que me ensinou algumas coisas que sei. Selecionei um pedacinho, que fala sobre algo que já ouvi muita gente falar sobre ele:

“Vi muitos shows, como jornalista, e sempre ficava impressionada com a capacidade de ele tocar as pessoas, com seu jeito no palco e com as palavras que ele cantava. Gente vidrada naquilo que ele dizia, como se aquelas palavras tivessem sido escritas para cada adolescente deprimido na plateia. Ou para cada jovem adulto cheio de dúvidas. Para cada um que tivesse algum dia ficado trancado no quarto chorando uma tarde inteira por que estava angustiado com tudo: o mundo que não o compreendia, o amor que não vinha, a existência que, simplesmente, machucava. Everybody hurts, all the time.”

 Mas quero falar de uma historinha dele com os livros e a literatura, que descobri semanas atrás. A história foi assim: dois fãs do Renato foram ao apartamento dele, no Rio, e deixaram um bilhete com o endereço deles, esperando que desse em alguma coisa. Algum tempo depois chegou uma carta do ídolo, escrita à mão, com indicações dos livros e autores favoritos do cantor, que ele achava que os fãs deveriam ler. A “fórmula mágica” para escrever as letras que fizeram fama no Legião era “simples”: ler. E estudar, escrever, se instruir. Era o que Renato repetia aos fãs.

Renato presenteou estes fãs com um presente material e um intelectual no mesmo pedaço de papel.  Quer ver a lista indicada por ele? Para quem não tiver muita paciência para decifrar, segue a transcrição da parte da carta que fala dos livros:

Uma boa idéia rapazes é LER LIVROS. Aí vocês verão que nem sou tão original assim.

Uma lista:

“Zen e a Arte de Manutenção de Motocicletas”, Robert Pirsig

“A Montanha Mágica”, Thomas Maan

“Admirável Mundo Novo”, Aldous Huxley

“Estórias de Fada”, Oscar Wilde

“A Revolução dos Bichos”, George Orwell

“Capitães de Areia”, Jorge Amado

“Encontro Marcado”, Fernando Sabino

“O Apanhador no Campo de Centeio”, J.D. Salinger

“Discurso Sobre a Servidão Voluntária”, Etienne de la Boétie

“O Senhor dos Anéis”, JRR Tolkien

“Siddharta”, Herman Hesse

“Demian”, Herman Hesse

“Narciso e Goldmund”, Herman Hesse

“O Lobo da Estepe”, Herman Hesse

“Histórias Extraordinárias”, Edgar Allan Poe

“Fundação”, Isaac Asimov

“1984”, George Orwell

Autores interessantes:

- Júlio Verne
- Fernando Pessoa
- Carlos Drummond de Andrade
- Colin Wilson

“O Vampiro Lestat”, Anne Rice
“Feliz Ano Velho”, Marcelo Rubens Paiva

…e milhões de outros livros jóia. Etc.

Boa leitura!

P.S: Quer saber mais sobre a banda? O site do Legião Urbana está trazendo “pérolas”, curiosidades e outros conteúdos inéditos.

About these ads