o João Cabral é esse aí, ó

o João Cabral é esse aí, ó

Hoje completam 10 anos desde a morte de João Cabral de Melo Neto, escritor do poema [gigante] Morte e Vida Severina.
Publicado pela primeira vez em 1956, este livro é o principal da obra de João Cabral e retrata a fuga da seca de retirantes. Os retirantes saem do interiorzão de Recife e vão passando por diversas terras, diversos problemas agrários do Brasil (e que estão por aí problemando até hoje). Os retirantes são representados pelo personagem principal: o Severino, esse aqui, ó:

“O meu nome é Severino,
como não tenho outro de pia.
Como há muitos Severinos,
que é santo de romaria,
deram então de me chamar
Severino de Maria
como há muitos Severinos
com mães chamadas Maria,
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias

Mais isso ainda diz pouco:
há muitos na freguesia,
por causa de um coronel
que se chamou Zacarias
e que foi o mais antigo
senhor desta sesmaria.

Como então dizer quem falo
ora a Vossas Senhorias?
Vejamos: é o Severino
da Maria do Zacarias,
lá da serra da Costela,
limites da Paraíba.

Mas isso ainda diz pouco:
se ao menos mais cinco havia
com nome de Severino
filhos de tantas Marias
mulheres de outros tantos,
já finados, Zacarias,
vivendo na mesma serra
magra e ossuda em que eu vivia.

Somos muitos Severinos
iguais em tudo na vida:
na mesma cabeça grande
que a custo é que se equilibra,
no mesmo ventre crescido
sobre as mesmas pernas finas
e iguais também porque o sangue,
que usamos tem pouca tinta.”

Em 1965, Chico Buarque musicou boa parte do poema para uma adaptação para o teatro. Esta é uma das músicas, “O Funeral de Um Lavrador”:

João Cabral foi eleito membro da academia em 15 de agosto de 1968, e empossado em 6 de maio de 1969.

O programa Entrelinhas, da TV Cultura, fez um especial sobre os 10 anos sem o João Cabral, o “arquiteto da poesia”.

E dá pra ler o Morte e Vida Severina nesse link aqui:
culturabrasil.pro.br/joaocabraldemeloneto

Ah! E feliz Dia Nacional da Leitura, que vai ser dia 12 de outubro! A gente já não é mais criança, mas ainda tem motivos pra celebrar a data.

Boas leituras!