“Uma nação se faz de homens e livros”. Monteiro Lobato é o autor dessa frase que, de tão citada, quase virou lugar-comum. É por causa dele que hoje, 18 de abril, é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil (ele nasceu em 18/04/1882).  Também, pudera! Com uma contribuição como “O Sítio do Pica-Pau Amarelo” para a literatura nacional, ele tinha que ser lembrado mesmo, não?

Essa é uma das capas clássicas do livro.

Muitos dos seus livros foram adaptadas para a televisão e é comum que as escolas indiquem a leitura deles aos alunos. Narizinho, Pedrinho, Emília, Visconde de Sabugosa e todos os outros personagens do Sítio se tornaram parte da nossa cultura e imaginário. Hoje, quando lemos seus livros, conhecemos o homem do campo tal como Lobato o via no início do século XX, lembramos o folclore brasileiro e vivemos muitas aventuras.

Para comemorar, deixamos aqui um link para ouvir uma entrevista à Rádio Record. Com três partes, a conversa aconteceu pouco antes de o escritor morrer. Nela a gente conhece um homem diferente daquele autor que idealizamos ao ler os livros. Uma frase dele merece destaque, tendo em vista a data: “Eu perdi tempo escrevendo para gente grande, que é uma coisa que não vale a pena”.

As outras duas partes estão aqui e aqui.

Via Trabalho Sujo e Todoprosa.

——————–

P.S. Esqueci de escrever! Os livros dele certamente estão na biblioteca da sua escola. Que tal buscar um?