Para ele, o cemitério é um lugar legal.

Do jeito que anda, em breve vamos ter que criar uma tag só pro Neil Gaiman. Ou, sei lá, uma de nós vai virar setorista. Mas hoje é um post curtinho, só para dizer que a revista Época publicou em seu site uma entrevista com o autor, falando sobre o último lançamento dele aqui no Brasil, “O livro do cemitério”.

As respostas do Gaiman na entrevista são bem legais. Gostei muito do início, em que ele fala que acha que crianças têm fascínio pela morte e por cemitérios (ele tinha fascínio por essas questões, logo…).  A razão para escrever sobre isso? “Eu quis escrever um livro para entender esse olhar. Falar sobre a morte é uma maneira de falar sobre a vida, sobre o que é a infância.” A partir daí só melhora, até culminar na resposta à última pergunta:

ÉPOCA A fama influenciou o seu trabalho de alguma forma?
Gaiman –
Eu espero que não. As pessoas falam muito sobre a fama, sobre coisas como prêmios literários, mas a verdade é que, no fim do dia, você é só uma pessoa com um papel em branco na sua frente. Isso nunca muda. O que importa o que você vai colocar naquela folha de papel.

A entrevista está aqui. Gaiman também tem um blog e um twitter. Pode ser uma boa para treinar o inglês, hein?